domingo, 10 de fevereiro de 2008

Domingo de sol em Paris


Sabado fomos ao cinema e assistimos ao filme do Johnny Depp (o que ele é um barbeiro), não sei por que motivo esse filme foi classificado como comedia, é um musical chatissimo e com historinha previsivel e sem sal. O cinema também não era dos melhores, a inclinação do piso era baixa, entre 5 e 10 graus e os assentos eram mais baixos que os joelhos, bastante desconfortavel. Ainda bem que estava vazio e o filme não era tão longo.

Hoje fomos até Paris passar um dia com amigos - as fotos não ficaram na minha maquina então depois eu posto :-) Foi otimo! Nem sabia quantas saudades eu sentia da vida normal de ter um casal de amigos por perto para poder almoçar juntos, passear, fofocar... Me fez ver o quanto eu estou me acostumando a ser sozinha. Na verdade acho que nem é costume, é um tipo de depressão/solidão que vai tomando espaço e quando você ve ja està tomada por ela.

Foi mais do que bom re-estar perto do Rodrigo e da Roberta. Eles tinham varias historias novas, caminhamos por Paris, comemos bomba de chocolate do Paul e almoçamos comida grega regada no vinho frances. Perfeito!

Mesmo a vida em Manaus não tendo sido um mar de rosas, ainda sentimos muita falta dos nossos amigos, alguns requerem uma visita à selva, outros se esparramaram pelo mundo. Sei que poderei encontrar novos amigos onde quer que eu va, mas os que fui deixando pelo caminho me fazem muita falta!

2 comentários:

Patricia Patitucci disse...

Oi Vivian,

Muito legal teu post. Acho que voce colocou em palavras muito do que eu sinto tambem... apesar da minha fase de quietude ter sido em Manaus. :-)
Bacana que voces encontraram o Rodrigo e a Roberta!! Seu blog esta muito legal... :D

Bjos, Patricia

Rodrigo disse...

Oi Vivian. Muito bom post. Concordo com você, adorei o texto e acho que você está certa.
Achei engraçado de "encontrar" o post da Patricia aqui :-) Seu blog pode virar um ponto de encontro dessa galera "esparramada pelo mundo". Beijos para você e obrigado pelo passeio. Nos vamos, "ça va? Merci bien, monsieur madamme" (não estou preocupado em ver se escrevi algo próximo do que deve ser em Francês)
Beijos,
Rodrigo